sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Oktoberfest de Igrejinha tem história contada em livro




Professora Karin Blum Borniger lança o primeiro registro oficial da história da Oktoberfest de Igrejinha/RS, um dos berços da colonização alemã no país.




 
A Oktoberfest de Igrejinha nasceu com o propósito de preservar e estimular a tradição alemã. Com este objetivo, o casal presidente da gestão 2011 da Amifest (Associação de Amigos da Oktoberfest de Igrejinha), Deisi e Luiz Fernando Sohne, o Lux, convidou a professora Karin Blum Borniger para escrever o livro: A Oktoberfest de Igrejinha. A cidade, localizada no interior do Rio Grande do Sul, é um dos berços da colonização alemã no país e não contava com nenhum registro oficial da festa, que em 2012 completará 25 anos. A publicação, da editora GTM - Gráfica Treze de Maio, de Igrejinha/RS, que foi lançada neste mês, teve apoio do Centro Cultural e Beneficente Emanuel. Ao todo, 200 exemplares serão distribuídos em escolas, bibliotecas e nas entidades beneficiadas anualmente pela Oktoberfest, que também é conhecida como a maior festa comunitária do país.

Sobre a ideia de escrever o livro, a professora, que trabalhou voluntariamente, destaca que era uma necessidade para os estudantes e para os professores da cidade e também para a comunidade em geral. “Sabemos o quanto a história oral pode sofrer alterações, necessitando de registros, quando possível, relatados pelas pessoas que vivenciaram e protagonizaram a história. Como ainda temos os idealizadores e organizadores das primeiras edições da festa, pudemos resgatar a história precisa da festa e transformá-la em um livro cheio de informações para todos os tipos de leitores”, descreve Karin.

Capa do livro
Arte da capa: Juliano Arnold

SINOPSE - O livro conta a trajetória da Oktoberfest de Igrejinha, através de fontes primárias, entrevistas e relatos dos presidentes. A primeira parte da obra contextualiza questões sobre o porquê da vinda dos alemães para o Brasil e o motivo do país ter recebido estes imigrantes. Na segunda parte, há um resgate histórico dos costumes dos igrejinhenses, abordando superficialmente o contexto socioeconômico da cidade em 1988, ano de realização da 1ª Oktoberfest. O livro reconhece o Baile de Kerb como a festa “mãe” da Oktoberfest de Igrejinha. Após, há o capítulo Palavra de Presidente, onde estão depoimentos dos ex-presidentes da festa. No final, o livro apresenta as principais inovações de cada edição e cópia dos quadros informativos expostos no Museu da História da Oktoberfest, entre outras informações.

Mais informações pelo telefone (51) 3545.1077 ou pelo site www.oktoberfest.org.br.

Caro jornalista, abaixo está disponível o link da imagem para download em alta resolução

Nenhum comentário:

Postar um comentário